UM ANJO CAIU DO CÉU

Uma câmera de segurança filmou um anjo na Indonésia. Uma imagem um tanto quanto interessante. A filmagem correu o mundo rapidamente e despertou interesse e dúvidas. A primeira dúvida é se o vídeo seria real ou apenas mais uma montagem passeando pela grande rede. A segunda dúvida é do que se trata o ser que aparece. Seria um anjo, um extraterrestre ou outra entidade qualquer?

A dúvida correu junto com o vídeo. Os religiosos crêem que foi um anjo, os adeptos à ufologia acreditam ser um ser de outro planeta que surgiu diante da câmera e os céticos, por sua vez, acham que é apenas uma montagem feita por alguém afim de alguns minutos de fama. O caso é que a luz apareceu.

Se foi realmente um anjo, o que ele teria vindo fazer aqui na terra? E por que foi embora tão rápido assim, sem que ao menos tivéssemos tempo pra dizer do que estamos carecendo aqui embaixo? Será que era seu plano, já desde sua partida do céu, aparecer e sumir rapidamente ou ele nem sequer chegou, viu tanta coisa errada e fora dos eixos e resolveu adiantar sua volta para o paraíso?

Um poeta que eu conheço escreveria “Oh anjo cruel, por que te foste tão rápido? Precisamos tanto da tua ajuda. Por que te foste sem nem ao menos tomar um café? Não nos deste tempo de te contar nosso sofrimento. Não pudemos nem pedir um pouco do seu conhecimento celestial para rearranjar as coisas por aqui. Oh anjo cruel, por que te foste e nos deixaste perdidos?”

É bem provável que a visita angelical tenha sido por ordens divinas. Talvez uma visita de rotina pra um simples levantamento in locu das condições de vida, da disponibilidade de recursos financeiro, hídrico e cultural, do cumprimento ou não das promessas de campanha, dos nepotismos cruzados, do sensacionalismo da mídia, do lixo espalhado pelas ruas e das infâncias perdidas.

O anjo só não esperava encontrar tanta coisa errada. Ele achou que estava ganhando um presente de Deus quando fora designado para nos visitar quando na verdade era um castigo. Tão logo se recuperou da sua iluminada queda ele já partiu. Não teve coragem de permanecer e ver o resto. Não teve condições de fazer o levantamento para o qual foi designado. E nós ficamos aqui. Uns à deriva, outros a ver navios.

About Só para Raros!

Comunicóloga graduada pela PUC Minas, Jornalista e blogueira.

Posted on 2 de Outubro de 2011, in Uncategorized and tagged , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: